Faculdade Mental
PENSE! - 20/11/2010

  

PENSANDO NA CONVERVAÇÃO

JANE GOODALL - 50 ANOS EM GOMBE
English:

http://ngm.nationalgeographic.com/2010/10/jane-goodall/quammen-text
Photos:
http://ngm.nationalgeographic.com/gombe-hub
The institute:
http://www.janegoodall.org/
Em 1960, uma jovem intrépida e sem educação científica montou acampamento para observar chimpanzés na Reserva de Caça Gombe Stream, na Tanganica, atual Tanzânia. Hoje o nome de Jane Goodall é sinônimo de conservação, e inspira um dos mais longos e pormenorizados estudos de uma espécie na natureza.
Na manhã de 14 de julho de 1960, ela chegou a uma praia pedregosa na costa leste do lago Tanganica. Foram seus primeiros passos na então chamada Reserva de Caça Gombe Stream, uma pequena área protegida que o governo colonial britânico havia demarcado nos idos de 1943. Trazia uma barraca, pratos de flandres, uma caneca sem asa, um binóculo tosco, um cozinheiro africano chamado Dominic, e - como acompanhante, por insistência de pessoas que temiam por sua segurança na selva da Tanganica pré-independente - sua mãe. Vinha estudar os chimpanzés. Ou pelo menos tentar. Quem não a conhecia bem apostava em seu fracasso. Mas uma pessoa, o paleontólogo Louis Leakey, que a recrutara para a tarefa em Nairóbi, acreditava que ela podia ter êxito.
Um grupo de moradores acampados na praia perto de redes de pesca recebeu os recém-chegados e os ajudou a descarregar o equipamento. Por volta das 5 da tarde, alguém anunciou ter visto um chimpanzé. "Lá fomos nós", escreveu Jane depois em seu diário. Foi só um vislumbre distante, vago. "Ele se afastou quando alcançamos o bando de pescadores que o fitava. Escalamos a encosta, mas não o vimos mais." Apesar disso, ela registrou um amontoado de ramos curvados e amassados numa árvore próxima: um ninho de chimpanzé. Esse dado, o primeiro ninho, foi o ponto de partida de uma saga, ainda em andamento e completando agora 50 anos, que viria a ser uma das mais importantes da biologia moderna: o contínuo e minucioso estudo do comportamento dos chimpanzés de Gombe, empreendido por Jane Goodall e outros.
A história da ciência registra alguns dos grandes momentos e detalhes icônicos dessa saga, fascinante como um conto de fada. A jovem senhorita Goodall não tinha credenciais científicas quando começou nem ao menos diploma universitário. Era uma brilhante e motivada inglesa, formada em secretariado, que sempre amara os animais e sonhava em estudá-los na África. Provinha de uma família de mulheres fortes, pouco dinheiro e homens ausentes. Suas primeiras semanas em Gombe foram atribuladas, tateando à procura de uma metodologia, perdendo tempo por causa de uma febre que provavelmente era malária, caminhando muitos quilômetros pela selva montanhosa e avistando poucos chimpanzés. Finalmente, um macho idoso, de barbicha grisalha, deu-lhe uma chance - fez um hesitante e surpreendente gesto de confiança. Jane batizou-o de David Greybeard (David, o Barba Grisalha). Em parte graças a ele, Jane fez três observações que abalaram as confortáveis certezas da antropologia física: chimpanzés comem carne (presumia-se que fossem vegetarianos), usam ferramentas (talos de planta para pescar cupim no ninho) e as fabricam (removendo as folhas do caule), sendo esta última uma característica supostamente única da premeditação humana. Foi um avanço enorme na pesquisa científica: cada uma dessas descobertas reduziu ainda mais a diferença percebida entre a inteligência e a cultura do Homo sapiens e do Pan troglodytes.
A observação sobre a confecção de ferramentas era a mais revolucionária das três e causou furor entre os antropólogos, pois uma definição quase canônica da nossa espécie era "homem, o fabricante de ferramentas". Louis Leakey vibrou com a notícia de Jane e escreveu a ela: "Agora vamos ter de redefinir ‘ferramenta’, redefinir ‘homem’ ou aceitar os chimpanzés como seres humanos". Essa frase memorável marcou uma nova fase, fundamental em nossa concepção, do que constitui a essência humana. Outro aspecto interessante a lembrar é que essas três descobertas mais celebradas, independentemente de trazerem mudanças de paradigmas, foram todas feitas por Jane durante seus quatro primeiros meses em campo. Ela decolou rápido.
O mais extraordinário em Gombe, porém, não é o fato de Jane Goodall ter "redefinido" a espécie humana, e sim ter instituído um novo padrão, muito superior, ao estudo do comportamento de grandes primatas na natureza: a ênfase nas características individuais tanto quanto nas coletivas. Jane criou um programa de estudo, um conjunto de protocolos e princípios éticos, um foco intelectual - na prática, ela estabeleceu uma relação entre o mundo científico e uma comunidade de chimpanzés. O projeto Gombe ampliou-se em muitas dimensões, atravessou crises, evoluiu em função de objetivos que nem ela nem Louis Leakey haviam antevisto e por fim adotou métodos (mapeamento por satélite, endocrinologia, genética molecular) e abordou questões que nos levam muito além do campo do comportamento animal. Por exemplo: técnicas de análise molecular, aplicadas a amostras de fezes e urina que podem ser coletadas sem a necessidade de capturar e manusear os animais, trazem revelações sobre as relações genéticas entre os chimpanzés e a presença de germes patogênicos em alguns deles. Uma dilacerante ironia, contudo, ronda o coração desse triunfo da ciência em seu cinquentenário: quanto mais aprendemos sobre os chimpanzés de Gombe, mais razões temos para nos preocupar com sua sobrevivência.
Duas revelações nos últimos tempos, em especial, são inquietantes. Uma envolve a geografia; a outra, doenças. A mais querida e mais bem estudada população de chimpanzés do planeta está isolada em uma ilha de hábitat que é pequena demais para sua viabilidade no longo prazo. E, pior, agora parece que uma versão símia da aids está matando alguns dos primatas de Gombe.
A questão do método de estudo dos chimpanzés e do que se pode inferir das observações de seu comportamento absorve Jane desde o início da carreira. Começou a ganhar foco depois de sua primeira temporada em campo, quando Louis Leakey lhe anunciou sua próxima ideia brilhante: conseguir para Jane admissão em um programa de PhD em etologia na Universidade de Cambridge.
O doutorado parecia despropositado em dois sentidos. Primeiro, Jane não tinha diploma universitário. Segundo, ela sempre desejara ser naturalista ou talvez jornalista - jamais cientista. "Eu nem sabia o que era etologia", me disse Jane pouco tempo atrás. "Demorou até eu descobrir que significava simplesmente o estudo do comportamento." Aceita em Cambridge, ela viu-se em conflito com as certezas então prevalecentes em sua área de estudo. "Fiquei chocada quando me disseram que eu tinha feito tudo errado. Tudo." Jane já tinha 15 meses de dados de campo, a maior parte coletada à custa de paciente observação de indivíduos que ela conhecia pelos apelidos, como David Greybeard, Mike, Olly e Fifi. Essa personificação foi malvista em Cambridge; atribuir individualidade e emoção a animais não humanos era antropomorfismo, não etologia. "Lembrei-me de meu primeiro professor na infância, que me ensinou que isso não era verdade", conta ela. Seu primeiro professor fora seu cachorro, Rusty. "É impossível compartilhar a vida de modo significativo com qualquer tipo de animal dotado de cérebro razoavelmente bem desenvolvido e deixar de perceber que eles têm personalidade." Ela transgrediu a visão predominante - transgredir é uma característica de Jane - e, em 9 de fevereiro de 1966, tornou-se doutora Jane Goodall.
Em 1968, a reserva de caça também se graduou, tornando-se o Parque Nacional Gombe, na Tanzânia. Na época, Jane recebia subvenção da National Geographic Society. Era esposa, mãe e famosa, graças em parte a seus artigos para a revista e a sua bela presença em um filme para televisão, Miss Goodall and the Wild Chimpanzees. Para conseguir verba e dar continuidade a seu acampamento em Gombe, ela o transformou em uma instituição, o Centro de Pesquisa Gombe Stream (GSRC, na sigla em inglês). No início dos anos 1970, ela começou a receber pesquisadores - estudantes e pós-graduados - para ajudá-la na coleta de dados dos chimpanzés e em outros estudos em Gombe. Sua influência sobre a primatologia moderna, trombeteada aos quatro ventos por Leakey, é mais discretamente indicada pela longa lista de ex-alunos de Gombe que mais tarde se destacaram nos meios científicos, entre eles Richard Wrangham, Caroline Tutin, Craig Packer, Tim Clutton-Brock, Geza Teleki, William McGrew, Anthony Collins, Shadrack Kamenya, Jim Moore e Anne Pusey. Esta última, hoje titular na cátedra de antropologia evolucionária da Universidade Duke, é também diretora do Centro de Estudos de Primatas do Instituto Jane Goodall (fundado em 1977). Uma de suas tarefas é zelar pelos 22 abarrotados arquivos de dados de campo - cadernos, páginas de diários e listas de verificação, alguns em inglês, outros em suaíli -, produto de 50 anos de estudos de campo em Gombe.
Essa jornada de cinco décadas sofreu uma traumatizante interrupção. Na noite de 19 de maio de 1975, três jovens americanos e uma holandesa foram sequestrados por soldados rebeldes que haviam atravessado o lago Tanganica vindos do Zaire. Os quatro reféns acabaram sendo libertados, mas já não parecia prudente o Centro de Pesquisa Gombe Stream receber pesquisadores estrangeiros - como Anthony Collins me explicou.
Collins era na época um jovem biólogo britânico interessado em babuínos, a outra espécie de primata na berlinda em Gombe. Além de seus estudos, há quase 40 anos ele continua a exercer funções administrativas no Instituto Jane Goodall e no próprio GSRC. Collins recorda aquele 19 de maio de 1975 como "o dia em que o mundo mudou, no que diz respeito a Gombe". Os pesquisadores estrangeiros não puderam mais trabalhar em Gombe; a própria Jane precisou de uma escolta militar durante alguns anos. "O lado positivo foi que a responsabilidade pela coleta de dados passou diretamente, no dia seguinte, aos pesquisadores tanzanianos", diz ele. Cada um deles havia recebido no mínimo um ano de treinamento em coleta de dados, mas ainda trabalhavam, em parte, como rastreadores: ajudavam a localizar os chimpanzés, identificar plantas e garantir que os mzungu (brancos) voltassem em segurança ao acampamento antes de escurecer. Depois do sequestro, os tanzanianos deram um passo à frente "e o bastão foi passado a eles", diz Collins. Hoje o chefe dos pesquisadores de chimpanzés em Gombe é Gabo Paulo, que supervisiona as observações de campo e a coleta de dados, feitas por Methodi Vyampi, Magombe Yahaya, Amri Yahaya e outros 20 tanzanianos.
Conflitos humanos que transbordavam dos países vizinhos não foram as únicas calamidades que afetaram Gombe. A política dos chimpanzés também teve suas violências. A partir de 1974, a comunidade Kasekela (principal alvo dos estudos em Gombe) desferiu uma série de ataques sangrentos contra um subgrupo menor, batizado de Kahama. Esse período de agressões, conhecido nos anais de Gombe como Guerra dos Quatro Anos, causou a morte de alguns indivíduos, a aniquilação do subgrupo Kahama e a anexação de seu território pelos kasekelas. Enquanto as lutas entre machos pela posição alfa são políticas e físicas, entre as fêmeas foram registrados casos de mães que mataram o bebê de uma rival. "Quando cheguei a Gombe", escreveu Jane, "pensava que os chimpanzés fossem mais gentis que nós. O tempo me desenganou. Eles podem ser tão terríveis quanto os seres humanos."
Gombe nunca foi um éden. Doenças também causaram estragos. Em 1966 ocorreu um surto de uma moléstia virulenta (provavelmente pólio, contraída de seres humanos) e seis chimpanzés morreram. Outros seis ficaram paralíticos. Dois anos depois, David Greybeard e mais quatro primatas sumiram, vitimados por algum germe do aparelho respiratório (influenza? pneumonia bacteriana?). Mais nove chimpanzés morreram, no começo de 1987, de pneumonia. Esses episódios, que refletem a suscetibilidade dos chimpanzés a patógenos trazidos pelos seres humanos, ajudam a explicar a grande preocupação dos cientistas de Gombe com o tema das doenças infecciosas.
Essa preocupação aumentou com as mudanças na paisagem fronteiriça do parque. Ao longo de décadas, o povo dos vilarejos vizinhos esforçou-se para levar uma vida comum - cortando lenha e plantando nas encostas íngremes, queimando o mato durante a estação seca para obter cinza fertilizante. Mas, no começo dos anos 1990, o desmatamento e a erosão haviam transformado o Parque Nacional Gombe numa ilha ecológica, cercada em três lados pelo impacto humano e no outro pelo lago Tanganica. Nessa ilha viviam apenas uns 100 chimpanzés. Por todos os critérios da biologia conservacionista, isso não basta para constituir uma população viável no longo prazo - não garante sua sobrevivência contra os efeitos negativos da endogamia nem quando vier o ataque do próximo vírus perigoso. Era preciso fazer alguma coisa, Jane concluiu, além de continuar o estudo de uma benquista população de grandes primatas que podia estar condenada. E era preciso fazer algo também pelas pessoas, não só pelos chimpanzés.
Em uma cidade próxima, ela conheceu George Struden, um agricultor nascido na Alemanha, e com ele criou o projeto Educação e Reflorestamento da Bacia do Lago Tanganica (Tacare, na sigla em inglês), cuja primeira iniciativa, em 1995, foi a construção de três viveiros em 24 vilarejos. Os objetivos eram reverter o desmatamento das encostas, proteger as vertentes nos povoados e talvez, por fim, religar Gombe a trechos de mata fora do parque, ajudando os moradores a plantar árvores. Existe uma pequena população de chimpanzés em um retalho de floresta chamado Kwitanga, a 16 quilômetros de Gombe. Uns 80 quilômetros a sudeste, um ecossistema conhecido como Masito-Ugalla sustenta mais de 500 desses primatas. Se qualquer uma dessas áreas pudesse ser conectada a Gombe por corredores reflorestados, os chimpanzés seriam beneficiados com o aumento do fluxo gênico e das populações. Por outro lado, poderiam ser prejudicados por doenças contagiosas.
De qualquer ângulo, vencer esse desafio é quase impossível. Com cautela e paciência, Jane e sua equipe alcançaram alguns êxitos alentadores nos aspectos de cooperação da comunidade, diminuição das queimadas e regeneração da floresta natural.
Na segunda manhã da minha visita a Gombe, em uma trilha não muito acima da casa em que Jane viveu de tempos em tempos desde os anos 1970, encontro um grupo de chimpanzés. Os animais perambulam pela encosta em busca do café da manhã. Eles deslocam-se sobretudo no chão, mas ocasionalmente sobem em alguma árvore do gênero Vitex para comer frutinhas roxas. Parecem indiferentes à minha presença e a dos pesquisadores tanzanianos. Entre eles há alguns indivíduos cujos nomes, ou pelo menos a história familiar, são conhecidos. Lá estão Gremlin (filha de Melissa, que era uma jovem fêmea quando Jane chegou), Gaia, filha de Gremlin (com um bebê agarrado ao pelo), Golden, irmã mais nova de Gaia, Pax (filho do famigerado canibal Passion) e Fudge (filho de Fanni, neto de Fifi, bisneto de Flo, a querida matriarca de nariz feioso, famosa por figurar nos primeiros livros de Jane). Lá está também Titan, um macho de 15 anos, grandalhão. As regras do Parque Nacional Gombe mandam que não nos aproximemos de nenhum chimpanzé, mas em geral o difícil é impedir que eles se aproximem de nós. Quando o robusto Titan vem andando todo confiante pela trilha em nossa direção, nos esprememos nas laterais e deixamos que o fanfarrão passe a centímetros de nós. Depois de toda uma vida de familiaridade com pesquisadores humanos inofensivos munidos de cadernos e folhas de verificação, nossa presença lhe causa o maior tédio.
Outro reflexo da despreocupação deles: Gremlin defeca na trilha não muito longe de nós, e depois Golden faz o mesmo. Quando eles se afastam, um pesquisador chamado Samson Shadrack Pindu calça luvas amarelas de látex, pega uma pequena pá de plástico e vai até o local. Agacha-se, recolhe um bocado do excremento esverdeado e fibroso de Gremlin e o transfere para um tubo de amostra. Registra nele a hora, a data, o local e o nome de Gremlin. O tubo contém um líquido estabilizador chamado RNAlater, que preserva qualquer RNA (por exemplo, o de um retrovírus) para análises genéticas posteriores. Esse tubo, e outros como ele, representando uma amostra fecal mensal do maior número possível de chimpanzés, irá para o laboratório de Beatrice Hahn na Universidade do Alabama em Birmingham. Há dez anos ela estuda o vírus da imunodeficiência símia em Gombe.
O vírus da imunodeficiência símia dos chimpanzés, tecnicamente conhecido como SIVcpz, é o precursor e a origem do HIV-1, o vírus responsável pela maioria dos casos de aids no mundo (há também o HIV-2). Apesar do nome, nunca fora constatado que o SIVcpz houvesse causado danos ao sistema imunológico de chimpanzés selvagens, até que os conhecimentos de genética molecular da doutora Beatrice encontraram os dados de observações de longos períodos em Gombe. Pensava-se que o SIVcpz fosse inócuo aos chimpanzés, e essa suposição levara à questão de como ou por que ele causava uma pandemia letal entre os seres humanos. Será que umas poucas mutações fatídicas teriam transformado um inofensivo vírus de chimpanzé em assassino de seres humanos? Essa perspectiva teve de mudar depois da publicação de um artigo na revista Nature em 2009. Seu principal autor é Brandon F. Keele (que na época trabalhava no laboratório de Beatrice) e entre os coautores estão Beatrice Hahn e Jane Goodall. O artigo de Keele informava que chimpanzés SIV-positivos em Gombe apresentavam entre dez e 16 vezes mais risco de morte em determinada idade que os chimpanzés SIV-negativos. E três carcaças de chimpanzes SIV-positivos tiveram seus tecidos examinados (em laboratório, em nível molecular) e mostraram sinais de danos análogos aos da aids. Ou seja: uma doença semelhante à aids parece estar matando os chimpanzés de Gombe.
De todos os laços, características em comum e semelhanças que ligam nossa espécie à deles, essa revelação talvez seja a mais inquietante. "É assustador saber que os chimpanzés parecem estar morrendo mais cedo", me diz Jane. "Há quanto tempo isso está ocorrendo? De onde vem? Como afeta outras populações?" Pelo bem da sobrevivência dos chimpanzés de toda a África, essas questões demandam estudos urgentes.
Essa funesta descoberta também pode ser imensamente importante à pesquisa da aids em seres humanos. Anthony Collins ressalta que, embora o SIV seja encontrado em comunidades de chimpanzés de outras áreas, "nenhuma delas é uma população em estudo, habituada a observadores humanos, e nenhuma nos deu informações genealógicas ininterruptas por tanto tempo nem é tão dócil que nos permita obter amostras de cada indivíduo todo mês". E acrescenta: "É muito triste que o vírus esteja aqui, mas isso pode nos trazer conhecimento. E compreensão".
Os avançados métodos da genética molecular trazem mais que medonhas revelações sobre doenças. Eles também nos dão a empolgante capacidade de investigar alguns antigos mistérios sobre a dinâmica social e a evolução dos chimpanzés. Por exemplo: quem são os pais em Gombe? A maternidade é óbvia, e as íntimas relações entre mães e bebês foram bem estudadas pela própria Jane, além de Anne Pusey e outros. Mas, como as fêmeas tendem a se acasalar promiscuamente com vários machos, é bem mais difícil determinar a paternidade. E a questão de identidade paterna relaciona-se a outra: como a competição entre os machos por status na hierarquia - toda aquela espalhafatosa demonstração de valentia para obter e manter a posição de macho alfa - se correlaciona com o êxito reprodutivo? Uma jovem cientista, Emily Wroblewski, analisou o DNA de amostras fecais coletadas pela equipe de campo e chegou a uma resposta. Ela concluiu que os machos de posição mais elevada realmente têm mais filhos - mas os machos subalternos também não se saem nada mal. A estratégia consiste em investir na relação: passar um período exclusivo como casal, viajar na companhia da fêmea e acasalar-se - o mais das vezes com uma fêmea das mais jovens, que são menos desejáveis.
Jane previra essa conclusão duas décadas antes, com base em dados de observação. "O macho que consegue iniciar e manter uma relação de parceria com uma fêmea fértil", escreveu ela, "provavelmente tem mais chance de ser pai do filho dela do que teria na situação grupal, mesmo se ele fosse o alfa."
Imperativos maiores impeliram Jane a encerrar sua carreira como bióloga de campo em 1986. Desde então, ela atua como defensora e conferencista itinerante, uma mulher movida por um sentimento de missão pública. Que missão? Sua primeira causa, nascida de seus anos em Gombe, foi melhorar o péssimo tratamento infligido aos chimpanzés mantidos em laboratórios de pesquisas médicas. Combinando firmeza e indignação moral com sua simpatia e disposição para interagir com afabilidade, ela conseguiu alguns acordos favoráveis. Também fundou santuários para chimpanzés que podem ser libertados do cativeiro, entre eles muitos órfãos que perderam a mãe para a caça. Esse trabalho despertou sua preocupação com a conduta humana em relação a outras espécies. Ela criou um programa que incentiva jovens do mundo todo a militar em projetos para despertar o interesse pelos animais, o meio ambiente e a comunidade humana. Durante esse período, ela tornou-se exploradora associada da National Geographic Society. Atualmente, passa cerca de 300 dias por ano na estrada, dando inúmeras entrevistas e palestras em escolas, fazendo conferências, conversando com autoridades, angariando fundos para mover as engrenagens do Instituto Jane Goodall. De vez em quando foge para alguma floresta ou pradaria, talvez com alguns amigos, para observar chimpanzés, grous-canadenses ou furões, e restaurar sua energia e sanidade.
Cinquenta anos atrás, Louis Leakey mandou-a estudar os chimpanzés, por achar que o comportamento deles poderia lançar alguma luz sobre os ancestrais humanos, seu tema de estudo. Jane desconsiderou essa parte da incumbência e estudou os chimpanzés por si mesmos, pelo interesse que eles mereciam, por seu valor. Ao longo do caminho, criou instituições e oportunidades que frutificaram no trabalho de outros cientistas, e foi um luminoso exemplo pessoal que atraiu jovens à ciência e ao conservacionismo. Vale lembrar que o significado de Gombe, depois de meio século, é maior que a vida e o trabalho de Jane Goodall. Mas não se engane: a vida e o trabalho dela foram grandiosos.
Por David Quammen - Fonte: National Geographic - Número 128.
Fotos:
http://ngm.nationalgeographic.com/gombe-hub
O instituto:
http://www.janegoodall.org/


CUIDE DO SEU BOLSO E DO PLANETA JÁ!
Faça o download gratuito no site http://www.redetres.com/.
(COLABORAÇÃO: PROFESSORA ADRIANA FILETO)


PARA CADA SACOLA RECUSADA, UM CLIQUE!
Será que precisamos de tantas sacolas feitas de plástico e outros materiais nocivos ao meio ambiente?
Clique aqui: http://planetasustentavel.abril.com.br/


NUNCA FIZ AMIGOS EM LEITERIA
Apreciadores de um happy hour etílico são melhores nos negócios, melhores pais, melhores amantes. Inclusive, está provado que o mesmo happy hour é o melhor lugar para arrumar emprego ou trocar de trabalho. No mais, as máximas comprovam: "A humanidade está três doses em atraso". E Humphrey Bogart confirmava: "Não confie em quem não bebe".
Paulo Navarro (www.pnc.com.br/) - Fonte: O Tempo - 18/11/10.


REZANDO PRA XANGÔ, O ENEM DE 2011 IRÁ BEM
Nosso Guia disse bem a respeito da catástrofe do Enem: "Se for necessário fazer uma prova, faremos. Se for necessário fazer duas, faremos. Se for necessário fazer três, faremos, mas o Enem continuará a ser fortalecido".
No seu sentido literal, Lula fez mais uma bravata. O Inep e seus educatecas não têm capacitação para organizar uma prova, muito menos três.
Para fortalecer o Enem, a doutora Dilma precisa aprender a lição: um MEC de burocratas-companheiros que mandam "A" fazer uma coisa, sabendo que disso resultará uma ordem para "B" e outra para "C", só produzirá novos desastres.
O MEC comprou a aposta do fracasso em abril do ano passado, um mês depois de lançar o Enem/Vestibular, quando anunciou que só realizaria uma prova. Prometera duas. Os educatecas sabiam que com isso mantinham os estudantes sob a velha tensão do vestibular. Se as provas fossem duas, a tensão seria diluída. Esqueceram-se de que concentravam a probabilidade do próprio fracasso.
À época, disseram que em 2010 as provas seriam duas. Recuaram e repetiram o erro.
Para apressar a prova de 2009, o Inep reduziu todos os prazos de elaboração e impressão das provas. Neste ano, apressaram o treinamento dos fiscais.
Em maio do ano passado, o MEC disse que a Polícia Federal cuidaria a segurança do exame. Isso foi feito à la educateca: O Inep mandou um ofício à PF, recebeu de volta outro, informando que ela não estava capacitada nem autorizada para a tarefa. Em vez de ligar o alarme, arquivaram o ofício da PF.
Nenhum dos dois exames naufragou por conta de orientações pedagógicas. Todas as ruínas decorreram de erros logísticos porque "A" (o MEC) deu uma ordem para "B" (o Inep) que contratou "C" (os consócios Connasel e Cespe/ Cesgranrio) e todos acharam que o assunto estava resolvido.
O erro básico de 2009 foi o abandono da segunda prova. Agora, juntaram outro, que continua encravado. A realização da prova em papel é arriscada, megalomaníaca e anacrônica.
Se o MEC e o Inep começarem a trabalhar amanhã, em 2011 poderão ser realizados no mínimo dois exames, on-line. Basta copiar o sistema do exame Toefl americano e expandir o banco de questões de 10 mil para, no mínimo, 100 mil.
Para isso, será necessário seguir a "oração pra Xangô" proposta por Carlos Lyra e Vinicius de Moraes:
"Pra pôr pra trabalhar, gente que nunca trabalhou".
Elio Gaspari - Fonte: Folha de S.Paulo - 14/11/10.


Não deixem de enviar suas mensagens através do “Fale Conosco” do site.
http://www.faculdademental.com.br/fale.php

 

editorial
cantinho do humor
coluna do canalha
eu digital
falou no FM? tá falado!
fazendo direito
formandos & formados
futebol show
manchetes da semana
marilene carolina
nossos colunistas
pense!
rapidinhas
turmas do FM
a jente herramos
fotos de eventos
trabalhos publicados
  buscar:     
fale conosco
Troque uma idéia com o Cara, Carinha e Canalha, 24 horas por dia.
histórico
“O jornal paralelo oficial dos alunos da FNH”?
créditos
Por trás de um grande site tem sempre uma grande empresa, clique e veja.
pensamentos

27/08/2017
PENSANDO NA VIDA... >>


09/04/2017
PENSANDO E PENSANDO... >>


18/02/2017
PENSANDO NO EGO... >>


30/12/2016
PENSANDO NAS ORIGENS... >>


14/10/2016
PENSE FORA DO AQUÁRIO... >>


27/08/2016
PENSANDO NAS APARÊNCIAS... >>


02/07/2016
PENSANDO NAS CRIANÇAS >>


30/04/2016
PENSE FORA DA CAIXINHA... >>


14/03/2016
PENSANDO NA FELICIDADE... >>


17/01/2016
PENSANDO NO MUNDO DE HOJE... >>


21/12/2015
PENSANDO NAS FILAS... >>


02/12/2015
PENSANDO NO PRÓXIMO... >>


25/10/2015
PENSANDO NO COLETIVO >>


20/09/2015
PENSANDO NA VIDA >>


14/06/2015
PENSANDO NO PLANETA... >>


05/06/2015
PENSANDO NAS ABELHAS >>


22/04/2015
PENSANDO NA CAPITAL... >>


25/03/2015
PENSANDO NOS CHEFES... >>


22/02/2015
PENSANDO NO FUTURO... >>


18/01/2015
PENSANDO NO FUTURO >>


11/12/2014
PENSANDO NAS APARÊNCIAS... >>


15/11/2014
PENSANDO NA ORIGINALIDADE >>


14/10/2014
PENSANDO NO FUTURO >>


17/09/2014
PENSANDO NAS ELEIÇÕES >>


31/08/2014
PENSANDO NA FILOSOFIA... >>


16/08/2014
PENSANDO NO SER HUMANO... >>


27/07/2014
PENSANDO EM VIDA... >>


13/07/2014
PENSANDO NA REDE >>


09/06/2014
PENSANDO NAS MARCAS... >>


28/05/2014
PENSANDO NA GENEROSIDADE >>


08/05/2014
PENSANDO NA HUMANIDADE >>


26/04/2014
PENSANDO NOS LIMITES... >>


09/04/2014
PENSANDO NO FIM DE SEMANA... >>


21/03/2014
PENSANDO NOS SENTIMENTOS >>


08/03/2014
PENSANDO NA EDUCAÇÃO >>


22/02/2014
PENSANDO EM POLÍTICA... >>


07/02/2014
PENSANDO NA HUMANIDADE... >>


24/01/2014
PENSANDO NOS CACHORROS... >>


10/01/2014
PENSANDO EM RESPEITO >>


24/12/2013
PENSANDO NO SOL >>


16/12/2013
PENSANDO NA VIDA... >>


07/12/2013
PENSANDO NA REDE... >>


24/11/2013
PENSANDO NA IGUALDADE >>


18/11/2013
PENSANDO NO MENSALÃO >>


03/11/2013
PENSANDO NA VIDA... >>


26/10/2013
PENSANDO NA LIDERANÇA... >>


19/10/2013
PENSANDO NA LITERATURA >>


12/10/2013
PENSANDO NAS MENINAS >>


05/10/2013
PENSANDO NO EMPREENDEDORISMO >>


25/09/2013
PENSANDO EM ARQUITETURA >>


13/09/2013
PENSANDO NAS UNIVERSIDADES >>


08/09/2013
PENSANDO NA ECONOMIA >>


31/08/2013
PENSANDO NO TRABALHO >>


24/08/2013
PENSANDO NA CENSURA... >>


17/08/2013
PENSANDO NA “EVOLUÇÃO”... >>


10/08/2013
PENSANDO NAS AVES >>


03/08/2013
PENSANDO NO MUNDO >>


20/07/2013
PENSANDO EM LIVROS >>


13/07/2013
PENSANDO NA SAÚDE >>


06/07/2013
PENSANDO EM HOMENAGENS >>


27/06/2013
PENSANDO NO ESPAÇO >>


20/06/2013
PENSANDO NA VIDA >>


13/06/2013
PENSANDO NA INTELIGÊNCIA >>


06/06/2013
PENSANDO POSITIVO... >>


30/05/2013
PENSANDO DIFERENTE >>


25/05/2013
PENSANDO NO CÉREBRO HUMANO >>


05/05/2013
PENSANDO EM ARTES >>


29/04/2013
PENSANDO EM FENÔMENOS... >>


21/04/2013
PENSANDO EM REDAÇÕES >>


12/04/2013
PENSANDO NO PRÓPRIO INTERESSE >>


06/04/2013
PENSANDO NO SONO >>


29/03/2013
PENSANDO NA DIGNIDADE >>


22/03/2013
PENSANDO NOS ALIMENTOS >>


14/03/2013
PENSANDO EM... >>


07/03/2013
PENSANDO EM PROJETOS >>


28/02/2013
PENSANDO NO CLIMA >>


22/02/2013
PENSANDO NAS LINHAS DE NAZCA >>


14/02/2013
PENSANDO NA OBESIDADE >>


07/02/2013
PENSANDO NA OBESIDADE >>


31/01/2013
PENSANDO NO PÃO NOSSO DE CADA DIA... >>


24/01/2013
PENSANDO NA REDE SOCIAL >>


19/01/2013
PENSANDO NO SUCESSO >>


13/01/2013
PENSANDO NO INTERCÂMBIO >>


04/01/2013
PENSANDO NAS BOBAGENS CIENTÍFICAS >>


27/12/2012
PENSANDO NOS TERMOS MARCANTES >>


20/12/2012
PENSANDO NA LÍNGUA >>


13/12/2012
PENSANDO NA BONDADE >>


06/12/2012
PENSANDO NO AMBIENTE >>


30/11/2012
PENSANDO EM TALENTOS >>


23/11/2012
PENSANDO NOS RELACIONAMENTOS >>


15/11/2012
PENSANDO NA POLÍTICA >>


08/11/2012
PENSANDO NO RELACIONAMENTO >>


02/11/2012
PENSANDO EM HERÓIS >>


25/10/2012
PENSANDO NO FUTURO DO DESIGN >>


18/10/2012
PENSANDO NA EDUCAÇÃO E PROTEÇÃO ESPECIAL >>


11/10/2012
PENSANDO NA CORRUPÇÃO >>


03/10/2012
PENSANDO EM PROTEÇÃO >>


26/09/2012
PENSANDO NOS LIMITES >>


20/09/2012
PENSANDO NO ÁRTICO >>


12/09/2012
PENSANDO NOS OCEANOS >>


05/09/2012
PENSANDO NOS CADEIRANTES >>


30/08/2012
PENSANDO NA SAÚDE >>


24/08/2012
PENSANDO NA LIBERDADE >>


15/08/2012
PENSANDO NA ÁGUA >>


09/08/2012
PENSANDO NA VIDA >>


05/08/2012
PENSANDO NA INFORMAÇÃO >>


30/07/2012
PENSANDO NA ABERTURA >>


21/07/2012
PENSANDO NA LEITURA >>


12/07/2012
PENSANDO NA EDUCAÇÃO >>


05/07/2012
PENSANDO NAS OLIMPÍADAS >>


28/06/2012
PENSANDO NA CORRUPÇÃO >>


21/06/2012
PENSANDO NO AMBIENTE >>


16/06/2012
PENSANDO NO TIBET >>


09/06/2012
PENSANDO NO PRÓXIMO >>


02/06/2012
PENSANDO NAS ESCOLAS RURAIS >>


25/05/2012
PENSANDO NA DEMOCRACIA >>


12/05/2012
PENSANDO NA FELICIDADE >>


03/05/2012
PENSANDO EM RESTAURANTES... >>


28/04/2012
PENSANDO NAS FRONTEIRAS DO VALOR >>


21/04/2012
PENSANDO NAS GLADIADORAS >>


14/04/2012
PENSANDO NAS PARAOLIMPÍADAS... >>


05/04/2012
PENSANDO NA MONALISA >>


31/03/2012
PENSANDO EM 2016 >>


24/03/2012
PENSANDO NOS RIOS >>


15/03/2012
PENSANDO NAS ÁGUAS DE MARÇO >>


07/03/2012
PENSANDO NA NOVA GERAÇÃO >>


29/02/2012
PENSANDO NA UNIVERSIDADE ABERTA >>


22/02/2012
PENSANDO NAS ABELHAS >>


18/02/2012
PENSANDO NO TRABALHO >>


09/02/2012
PENSANDO NA MOTIVAÇÃO >>


02/02/2012
PENSANDO NA PAZ >>


28/01/2012
PENSANDO EM CAUSAS HUMANITÁRIAS >>


19/01/2012
PENSANDO NO PLANETA >>


13/01/2012
PENSANDO NA NEUROLOGIA >>


06/01/2012
PENSANDO NA IRONIA >>


31/12/2011
PENSANDO NA HISTÓRIA >>


22/12/2011
PENSANDO NA ARTE >>


18/12/2011
PENSANDO NO FUTURO >>


11/12/2011
PENSANDO EM AULAS >>


03/12/2011
PENSANDO NO EM EQUILÍBRIO >>


26/11/2011
PENSANDO NOS TUBARÕES >>


19/11/2011
PENSANDO EM MARTE >>


13/11/2011
PENSANDO NO CLIMA >>


02/11/2011
PENSANDO NO FUTURO >>


29/10/2011
PENSANDO NA SUSTENTABILIDADE >>


22/10/2011
PENSANDO NO PONTO DE EBULIÇÃO >>


12/10/2011
PENSANDO ROSA >>


05/10/2011
PENSANDO NOS GLADIADORES >>


28/09/2011
PENSANDO EM "GÊNIOS" >>


21/09/2011
PENSANDO NA EXISTÊNCIA >>


14/09/2011
PENSANDO NA TERRA >>


07/09/2011
PENSANDO NA ARTE >>


01/09/2011
PENSANDO EM PURIFICAÇÃO >>


26/08/2011
PENSANDO NA LINGUAGEM INTERNACIONAL >>


18/08/2011
PENSANDO NO ESPAÇO >>


11/08/2011
PENSANDO NO PROFESSOR >>


04/08/2011
PENSANDO NO AMBIENTE >>


28/07/2011
PENSANDO NA MITOLOGIA >>


21/07/2011
PENSANDO NA BUROCRACIA >>


17/07/2011
PENSANDO NO LEITE MATERNO >>


10/07/2011
PENSANDO NA MISTURA DOS SENTIDOS >>


01/07/2011
PENSANDO EM SISTEMAS SOLARES >>


23/06/2011
PENSANDO NA FOME >>


16/06/2011
PENSANDO NA VIDA >>


08/06/2011
PENSANDO NA MORTE >>


02/06/2011
PENSANDO NO MEIO AMBIENTE >>


26/05/2011
PENSANDO NO DESEJO >>


19/05/2011
PENSANDO NOS INCAS >>


12/05/2011
PENSANDO NAS ARANHAS >>


05/05/2011
PENSANDO EM SUPRIMENTO DE ÁGUA >>


26/04/2011
PENSANDO NAS CRIANÇAS >>


22/04/2011
PENSANDO NAS PESSOAS >>


14/04/2011
PENSANDO NA FAMÍLIA >>


08/04/2011
PENSANDO NA VIDA >>


31/03/2011
PENSANDO EM SOLUÇÕES VERDES >>


26/03/2011
PENSANDO EM DESIGN VERDE >>


17/03/2011
PENSANDO NA FAMÍLIA >>


10/03/2011
PENSANDO NOS ELEFANTES >>


03/03/2011
PENSANDO EM CONCURSO CIENTÍFICO >>


27/02/2011
PENSANDO NO AMOR >>


17/02/2011
PENSANDO NO PENSAMENTO >>


10/02/2011
PENSANDO NO SOL >>


03/02/2011
PENSANDO EM INOVAÇÃO, CRIATIVIDADE E EXPERIMENTAÇÃO... >>


27/01/2011
PENSANDO NAS CIDADES >>


20/01/2011
PENSANDO NOS PÁSSAROS >>


13/01/2011
PENSANDO NA POPULAÇÃO MUNDIAL >>


07/01/2011
PENSANDO NO TALÃO DE CHEQUE >>


30/12/2010
PENSANDO NA COMUNIDADE CIENTÍFICA >>


21/12/2010
PENSANDO NOS MELHORES DA DÉCADA >>


16/12/2010
PENSANDO EM EDUCAÇÃO >>


09/12/2010
PENSANDO NO SOCIAL >>


02/12/2010
PENSANDO NO CLIMA >>


25/11/2010
PENSANDO EM FLORES >>


20/11/2010
PENSANDO NA CONVERVAÇÃO >>


14/11/2010
PENSANDO NA BIODIVERSIDADE >>


04/11/2010
PENSANDO NO CÉU >>


29/10/2010
PENSANDO EM MAPAS >>


21/10/2010
PENSANDO EM ESTÍMULO CEREBRAL >>


14/10/2010
PENSANDO NO CANCER DE MAMA >>


07/10/2010
PENSANDO NA ÁFRICA >>


02/10/2010
PENSANDO EM CHAMPAGNE >>


24/09/2010
PENSANDO NO MUNDO >>


17/09/2010
PENSANDO EM INOVAÇÃO >>


09/09/2010
PENSANDO NAS ATITUDES >>


01/09/2010
PENSANDO NA SOLUÇÃO >>


26/08/2010
PENSANDO NAS HORAS >>


19/08/2010
PENSANDO NOS DIREITOS HUMANOS >>


12/08/2010
PENSANDO EM ÁGUA POTÁVEL >>


05/08/2010
PENSANDO EM UNIVERSIDADE >>


03/08/2010
PENSANDO EM EVOLUÇÃO >>


22/07/2010
PENSANDO NOS JOVENS >>


15/07/2010
PENSANDO EM ECLIPSES >>


08/07/2010
PENSANDO NA FELICIDADE >>


01/07/2010
PENSANDO NA VIOLÊNCIA >>


24/06/2010
PENSANDO EM INOVAÇÃO >>


17/06/2010
PENSANDO NOS ANIMAIS >>


10/06/2010
PENSANDO NO CONSUMO VERDE >>


03/06/2010
PENSANDO EM ALTA FREQUENCIA >>


27/05/2010
PENSANDO EM PENSAMENTO >>


23/05/2010
PENSANDO NA PAZ >>


13/05/2010
PENSANDO EM ALTA DEFINIÇÃO >>


07/05/2010
PENSANDO NO FIM DE UMA ERA >>


29/04/2010
PENSANDO EM ENERGIA >>


24/04/2010
PENSANDO EM ECO COKE >>


15/04/2010
PENSANDO NA INCONFIDÊNCIA >>


08/04/2010
PENSANDO EM TRADUÇÃO >>


01/04/2010
PENSANDO EM GUERNICA >>


25/03/2010
PENSANDO EM AR PURO >>


19/03/2010
PENSANDO EM BANHO DE ÁGUA VERDE >>


11/03/2010
PENSANDO EM SOLUÇÃO NUCLEAR >>


04/03/2010
PENSANDO NAS ALTURAS >>


25/02/2010
PENSANDO EM OBSERVAÇÃO PANORÂMICA >>


18/02/2010
PENSANDO NA ECOLOGIA >>


13/02/2010
PENSANDO EM CORAGEM >>


04/02/2010
PENSANDO NO FUTURO URBANO >>


29/01/2010
PENSANDO E QUESTIONANDO >>


23/01/2010
PENSANDO NA CRIAÇÃO >>


15/01/2010
PENSANDO EM BOA AÇÃO >>


24/12/2009
PENSANDO EM RECICLAGEM >>


17/12/2009
PENSANDO NA REDUÇÃO DE PLÁSTICO NO AMBIENTE >>


10/12/2009
PENSANDO NAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS >>


03/12/2009
PENSANDO NA MEMÓRIA >>


25/11/2009
PENSANDO NOS ANIMAIS SILVESTRES >>


20/11/2009
PENSANDO NA AMAZÔNIA >>


13/11/2009
PENSANDO NO ESPAÇO >>


05/11/2009
PENSANDO NO FUTURO >>


29/10/2009
PENSANDO NO PARAÍSO SUSTENTÁVEL >>


22/10/2009
PENSANDO EM LÁGRIMAS >>


16/10/2009
PENSANDO NA MAIOR FEIRA DE LIVROS DO MUNDO >>


08/10/2009
PENSANDO NOS PROFESSORES, PARABÉNS! >>


01/10/2009
PENSANDO EM MIGRAÇÃO >>


24/09/2009
PENSANDO NOS GOLFINHOS >>


17/09/2009
DIA INTERNACIONAL DA PAZ >>


10/09/2009
PENSANDO NO COMBATE À AIDS >>


03/09/2009
PENSANDO EM BLOG POLÊMICO >>


26/08/2009
PENSANDO EM FENÔMENOS V >>


20/08/2009
PENSANDO EM FENÔMENOS IV >>


13/08/2009
PENSANDO EM FONÔMENOS III >>


06/08/2009
PENSANDO EM FONÔMENOS II >>


29/07/2009
PENSANDO EM FONÔMENOS >>


24/07/2009
2009 - ANO DA FRANÇA NO BRASIL >>


14/07/2009
PENSANDO EM RECICLAGEM >>


09/07/2009
PENSANDO EM SEGURANÇA >>


03/07/2009
PENSANDO NO UNIVERSO >>


25/06/2009
PENSANDO NO ESPAÇO >>


19/06/2009
ADESIVOS SUSTENTÁVEIS >>


11/06/2009
PENSANDO EM FOTOGRAFIA >>


04/06/2009
PENSANDO NO AMBIENTE >>


28/05/2009
PENSANDO NA PAZ CELESTIAL >>


18/05/2009
PENSANDO EM "SHIT" >>


13/05/2009
PENSANDO NO CALHAMBEQUE DO FUTURO >>


07/05/2009
PENSANDO NA ADVERSIDADE >>


01/05/2009
PENSANDO EM ARTE A PARTIR DA ELETRICIDADE >>


22/04/2009
PENSANDO NO TRABALHADOR >>


15/04/2009
PENSANDO EM TIRADENTES >>


09/04/2009
PENSANDO NOS PROBLEMAS >>


01/04/2009
PENSANDO EM AMIZADE >>


25/03/2009
PENSANDO NOS ANIMAIS >>


19/03/2009
PENSANDO NA EMOÇÃO >>


12/03/2009
PENSANDO EM SHAKESPEARE >>


04/03/2009
PENSANDO EM RELACIONAMENTO >>


25/02/2009
PENSANDO NA VIDA >>


19/02/2009
PENSANDO EM BONDADE >>


12/02/2009
PENSANDO EM MONA LISA >>


06/02/2009
PENSANDO NO CARNAVAL >>


29/01/2009
PENSANDO NOS ESTUDOS >>


22/01/2009
PENSANDO NO INUSITADO >>


15/01/2009
LUMINOSIDADE >>


04/01/2009
PENSANDO EM TATUAGEM >>


02/01/2009
PENSANDO EM CUBA >>


25/12/2008
PENSANDO EM 2009 >>


18/12/2008
SEMPRE PENSANDO >>


11/12/2008
FELIZ 2000INOVE >>


04/12/2008
PENSANDO NO VAZIO >>


29/11/2008
PENSANDO EM SOLIDARIEDADE >>


20/11/2008
PENSANDO EM REFORMAS >>


13/11/2008
AO SUCESSO >>


06/11/2008
GRANDES EMPREENDEDORES! >>


30/10/2008
TEMPLO RECICLÁVEL >>


22/10/2008
PENSANDO EM XADREZ >>


16/10/2008
PENSANDO EM LITERATURA >>


10/10/2008
ORDEM DE GRANDEZA >>


01/10/2008
ALTOS E BAIXOS >>


25/09/2008
QUEM AMA, CUIDA! E PROTEGE O PATRIMÔNIO >>


16/09/2008
PENSANDO NA TRAIÇÃO >>


09/09/2008
PENSANDO EM DISCIPLINA >>


03/09/2008
PENSANDO NAS "BARBARIDADES" DO MUNDO >>


29/08/2008
PENSANDO BEM... >>


21/08/2008
PENSANDO EM PAZ >>


15/08/2008
ROSTOS E OLHARES >>


08/08/2008
PENSE NA MURALHA >>


31/07/2008
AS OLIMPÍADAS DA CHINA >>


27/07/2008
AMEAÇAS E OPORTUNIDADES >>


14/07/2008
CLIMA SAUDÁVEL >>


06/07/2008
LIDERANÇA GLOBAL >>


03/07/2008
ENVOLVIMENTO E COMPROMETIMENTO >>


26/06/2008
CRIATIVIDADE GIGANTESCA >>


19/06/2008
ARTE PURA >>


12/06/2008
PAIXÃO: A FORÇA QUE IMPULSIONA! >>


05/06/2008
COMPETITIVIDADE >>


29/05/2008
A SUPERAÇÃO DE OBSTÁCULOS >>


23/05/2008
OBRA-PRIMA >>


15/05/2008
EXPLOSÃO DE FORMA V >>


10/05/2008
EXPLOSÃO DE FORMAS IV >>


01/05/2008
EXPLOSÃO DE FORMAS III >>


21/04/2008
EXPLOSÃO DE FORMAS II >>


16/04/2008
EXPLOSÃO DE FORMAS >>


10/04/2008
REPENSE! >>


03/04/2008
MOTIVAÇÃO ESTRELAR >>


29/03/2008
PENSANDO E SOBREVIVENDO >>


21/03/2008
QUEM CUIDA DE VOCÊ, É VOCÊ MESMO! >>


15/03/2008
CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO >>


08/03/2008
AURORA BOREAL NO ALASKA >>


01/03/2008
ADVERSIDADES E OBSTÁCULOS >>


22/02/2008
A LIDERANÇA LUNAR >>


15/02/2008
OS CAMINHOS DA ADMINISTRAÇÃO >>


07/02/2008
COOPERAÇÃO E COLABORAÇÃO >>


30/01/2008
ROMPENDO COM O PASSADO E SE PREDISPONDO A MUDAR >>


24/01/2008
NOVOS VALORES E PRINCÍPIOS >>


19/01/2008
ÉTICA, QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA! >>


12/01/2008
MELHORAR CONTINUAMENTE É PRECISO... >>


30/12/2007
COMUNICAÇÃO E SINERGIA >>


23/12/2007
CADA SER HUMANO É ÚNICO... E DEVE SER VALORIZADO A CADA ANO... >>


16/12/2007
CAPITAL HUMANO >>


10/12/2007
A VIDA VALE A PENA >>


03/12/2007
PROTESTAR, REFLETIR E PENSAR... >>


26/11/2007
ESTÁTUAS PELO MUNDO...PARA PENSAR E REFLETIR V >>


19/11/2007
ESTÁTUAS PELO MUNDO...PARA PENSAR E REFLETIR IV >>


13/11/2007
ESTÁTUAS PELO MUNDO...PARA PENSAR E REFLETIR III >>


06/11/2007
ESTÁTUAS PELO MUNDO...PARA PENSAR E REFLETIR II >>


02/11/2007
ESTÁTUAS PELO MUNDO...PARA PENSAR E REFLETIR >>


25/10/2007
É PENSAR E REFLETIR... >>


17/10/2007
ELITE BRANCA??? >>


14/10/2007
O PROFESSOR DA ARTE - PAULO AUTRAN >>


30/09/2007
FOTOS PARA PENSAR VI >>


24/09/2007
FOTOS PARA PENSAR V >>


16/09/2007
FOTOS PARA PENSAR IV >>


10/09/2007
FOTOS PARA PENSAR III - WORLD TRADE CENTER >>


02/09/2007
FOTOS PARA PENSAR II >>


27/08/2007
FOTOS PARA PENSAR I >>


20/08/2007
É PRECISO PENSAR, NEM QUE SEJA PELADO!!! >>


13/08/2007
"NESSA LONGA ESTRADA DA VIDA..." >>


08/08/2007
HIROSHIMA - 62 ANOS >>


01/08/2007
ARROGÂNCIA >>


18/07/2007
5% OU 95%? ONDE VOCÊ SE ENCAIXA? >>


13/07/2007
EQUILÍBRIO E PLANEJAMENTO... >>


03/07/2007
ENTRE O CÉU E O INFERNO? >>


29/06/2007
RICOS CRESCEM MAIS NO PAÍS QUE NO MUNDO >>


18/06/2007
PENSAR OU RELAXAR E GOZAR? >>


17/06/2007
FEIRA DO LIVRO E ENCONTRO DE LITERATURA, NINGUÉM SEGURA "ECE" PAÍS... >>


04/06/2007
O FUTURO DO NOSSO PLANETA??? >>


28/05/2007
PROTESTO CONTRA A VIOLÊNCIA >>


21/05/2007
HÁ QUE SE PENSAR MUITO... >>


14/05/2007
A IMPORTÂNCIA DA BELEZA INTERIOR >>


07/05/2007
SEJA COMPETENTE >>


01/05/2007
VAMOS PENSAR MUITO SOBRE A ATUAL VIOLÊNCIA, PESSOAL!!! >>


23/04/2007
CHOCANTE! PARA PENSAR MESMO! >>


17/04/2007
FOTO QUE POR SI SÓ FALA A VERDADE >>


07/04/2007
IDÉIAS... >>


28/03/2007
É PARA PENSAR E AGIR... >>


21/03/2007
É REALMENTE PARA PENSAR E REFLETIR... >>


13/03/2007
DE PORTAS ABERTAS PARA A REFLEXÃO... >>


07/03/2007
TEMPO, FRASES, ANÚNCIOS DE EMPREGO... >>


03/03/2007
A VIDA É UM LIVRO ABERTO >>


14/02/2007
O SOL NASCEU PARA TODOS, BASTA PENSAR!!! >>


29/01/2007
VAMOS VIVENDO, VAMOS PENSANDO, VENDO AS HORAS, QUE VÃO PASSANDO... >>


14/12/2006
MENSAGEM DO ERNANI >>


04/12/2006
VAMOS TENTAR LIDAR MELHOR COM AS PESSOAS? COMO GENTE! >>


02/12/2006
100SACIONAL - SÓ AS MELHORES DO "PENSE!" >>


13/11/2006
HOMEM DE COR >>


09/11/2006
A LOGÍSTICA PORTUÁRIA EM QUESTÃO! >>


30/10/2006
PENSANDO EM POLÍTICA E RISCO... >>


23/10/2006
A VIDA CONTINUA... >>


17/10/2006
NÃO HÁ LIMITES PARA OS NOSSOS PENSAMENTOS! NEM O DESERTO! >>


09/10/2006
REFLEXÃO! >>


01/10/2006
O PODER DO PENSAMENTO E DA REFLEXÃO! >>


25/09/2006
QUAL O SEU TAMANHO? >>


21/09/2006
DEMOCRACIA É ISSO... >>


11/09/2006
PERGUNTARAM AO DALAI LAMA... >>


04/09/2006
O PODER DO PENSAMENTO >>


29/08/2006
NÃO VAMOS SILENCIAR! >>


21/08/2006
ATENDENDO O CLIENTE COM ELEGÊNCIA >>


20/08/2006
AMIGOS OU INIMIGOS? >>


24/06/2006
QUEM NÃO SE DEDICA SE COMPLICA! >>


12/06/2006
JOHN LENNON >>


04/06/2006
PARA REFLETIR >>


27/05/2006
QUEM SOMOS NÓS? >>


20/05/2006
SE INSPIRE NA VIDA DAS ÁGUIAS >>


14/05/2006
ANO DE ELEIÇÃO >>


07/05/2006
É CURIOSO! >>


01/05/2006
LAVAGEM CEREBRAL NA SALA DE AULA >>


27/04/2006
REUNIÕES! FIQUE ESPERTO! >>


27/04/2006
PONHA OS MIOLOS PRA TRABALHAR >>


06/04/2006
Pense >>


06/04/2006
SABEDORIA >>


23/03/2006
A ARTE DE PRODUZIR CLIENTES >>