Faculdade Mental
FALOU NO FM? TÁ FALADO! - 31/01/2013
  

FALANDO DE LITERATURA

PAULO COELHO
English:

Folha.uol.com.br/paulo-coelho
The site:
http://www.paulocoelho.com/
http://www.paulocoelho.com/br/
Facebook:
http://www.facebook.com/paulocoelho
A recusa acadêmica em entender Paulo Coelho...
No ano de 2010, a Folha registrou uma mesa na Bienal do Livro de São Paulo sobre a repercussão internacional da literatura brasileira. Os escritores Marçal Aquino e Milton Hatoum e o crítico Gregório Dantas apontaram como explicação para o desinteresse pela produção nacional o fim do boom latino, realismo mágico à frente, e a persistência de uma leitura ainda marcada pelas lentes do exotismo.
Hatoum detectou uma melhora nos últimos anos, com a tradução de clássicos e autores contemporâneos (ele mesmo foi traduzido para 16 línguas): "O que tenho notado é que o interesse pelo Brasil tem aumentado porque hoje temos um maior destaque internacional. Mas o fundamental é a qualidade da obra. Cedo ou tarde, bons livros serão traduzidos".
A julgar pela reportagem, os debatedores precisaram omitir um detalhe para sustentar seu diagnóstico. Trata-se do fato de que o escritor mais lido no mundo, cujas vendas já bateram a casa dos 100 milhões de exemplares em 150 países, traduzidos em 62 línguas, é o brasileiro Paulo Coelho. É provável que não se trate de esquecimento, mas da desconsideração pura e simples do pertencimento de Coelho ao domínio culto da literatura.
Se assim for, não estão sozinhos: o sucesso de público do autor tem sido acompanhado pela desqualificação crítica permanente, expressa o mais das vezes pelo silêncio, sinal de seu pouco valor na escala dos objetos dignos de interesse intelectual. Nessa hierarquia, o fenômeno representado pela produção de Coelho diz respeito ao mercado, e não à literatura; pode interessar à sociologia do consumo, mas não aos estudos literários.
O lugar assim destinado aos livros de Coelho já é em si bastante representativo dos contornos que ganharam aqui as relações entre literatura e mercado; e, mais genericamente, entre alta e baixa cultura. É a partir dessa chave que proponho um exercício analítico para enfrentar o fenômeno Paulo Coelho, evitando avaliá-lo para melhor captar a lógica de sua avaliação; tomando as classificações "nativas" do mundo literário não como critério definitivo de verdade para julgar o fenômeno literário, mas como fenômeno em si, a ser compreendido.
Para que o caso Paulo Coelho revele o modo como cultura erudita e indústria cultural se relacionam no Brasil, é preciso articular dois movimentos. Em primeiro lugar, tentar uma explicação para o sucesso do escritor, centrando a análise no pacto ficcional que seus livros propõem aos leitores, e evitando assim recorrer à determinação direta pela demanda, solução intensamente mobilizada pela crítica e pela imprensa, mas que se limita a supor a eficácia de uma estratégia no plano da circulação como explicação cabal.
Em seguida, tentar entender seu fracasso em encontrar assento no domínio culto da literatura brasileira, expresso sobretudo na reação da crítica. Parto de uma dupla recusa: a da atribuição mecânica do sucesso comercial ao propósito de autoajuda (gênero editorial, não literário) num contexto de ultraindividualismo egoísta; e a do juízo de valor estético como critério absoluto do literário.
LEITURA
O primeiro ponto da análise remete à leitura dos textos. Não posso resumir aqui o enredo dos livros, mas vou me ater a seu núcleo ideológico, tal como aparece nos dois primeiros, "O Diário de um Mago" e "O Alquimista". Retrabalhado em diferentes arranjos estilísticos e formas narrativas, esse núcleo permanece ao longo de toda a obra de Coelho.
Diz uma frase citada na dedicatória de "O Diário de um Mago" (1987): "O Extraordinário reside no Caminho das Pessoas Comuns". Essa frase, escrita em maiúsculas no livro, é um aceno de proximidade com o leitor: a transcendência é acessível ao vulgo, desde que bem conduzido por um iniciado.
No livro, essa ideia articula-se à de "bom combate", a luta em nome dos sonhos abandonados de juventude, que deve ser individualizada através de uma descoberta pessoal. Coelho projeta a relação vivida com seu guia, que no livro é a fonte desses ensinamentos, na relação virtual com seus leitores --que, como ele, são pessoas comuns, a que se encoraja combater o "bom combate".
Mestre e seguidores estão no mesmo plano. Embora o primeiro possa teorizar sobre as formas de iluminação esotérica, todos podem vivê-las na plenitude desde que aprendam, pela mediação de um mestre, a seguir a si mesmos. No livro seguinte, "O Alquimista" (1988), a mesma prédica é acrescida de novos instrumentos retóricos e conceituais.
O livro introduz a noção de "lenda pessoal", descrita como o destino autêntico revelado na juventude e soterrado pelas solicitações práticas da vida. A "lenda pessoal" é uma variante do "bom combate", ambos remetendo à adolescência como idade social do convívio de todas as possibilidades pelo retardamento das escolhas. A valentia que levará às conquistas está numa protensão do tempo, inscrita em frases como "Nunca desista dos seus sonhos" ou "Quando você deseja uma coisa, todo o Universo conspira para realizá-la".
Se esse universo esotérico configura uma espécie de metafísica popular, Coelho introduz o leitor nele dispensando-o da necessidade de conhecimento iniciático, dissolvendo as referências herméticas que manipula na assertiva decisiva de que tudo se resolve no entusiasmo com que se persegue o próprio desejo, lição aberta a todos.
Se os segredos esotéricos estão reservados ao especialista, seu manejo prático está à disposição de quem empreende o caminho, guiado pelo autor, que assume a mediação entre esotérico e exotérico, transcendente e imanente, extraordinário e ordinário. Papel cuja eficácia depende do uso da linguagem: ao evitar qualquer sofisticação, e mesmo obstinando-se na reprodução do clichê, o narrador suprime a distância social entre autor e leitor.
E, o que é ainda mais decisivo, as separações sociais que atuam na possibilidade diferencial de retenção do "tempo dos sonhos" também foram apagadas. Contribui para isso o confinamento da vivência pessoal à experiência da ruptura, cuja alegoria por excelência é a viagem ou a peregrinação. Tudo somado, abre-se para o leitor o mergulho numa leitura de evasão, que dá a seu sujeito a possibilidade de controle, pouco importa se ilusório, do tempo da vida --desta vida, detalhe que, ao menos no plano simbólico, reconverte a evasão em direção a seu ponto de origem, à forma de vida presente que se quer superar.
Nesse plano, o horizonte da transformação é oferta permanente; pode fazer recuar as escolhas, de modo que pareçam reversíveis até que se encontre o caminho, o bom combate, a realização da lenda pessoal. Não por acaso, o mote simbólico da viagem e seu desdobramento factual nos deslocamentos constantes dos personagens no espaço está presente em cada um de seus relatos.
Em suma, penso que o elemento universalizável da literatura de Paulo Coelho está precisamente na possibilidade de manipulação (e mesmo reversão) do tempo no ato da leitura. A difusão da obra em culturas tão diversas explica-se melhor pela mensagem lábil (e o potencial universalizante de seu efeito) do que pela fixidez de sua remissão direta a um contexto, por mais amplo que seja.
DESQUALIFICAÇÃO
Passo então ao segundo ponto, ou seja, a desqualificação ostentada como troféu pelas camadas letradas, tomando como caso paradigmático aquela que é, salvo engano, a única análise em profundidade de um livro de Coelho produzida por um nome de peso da crítica acadêmica: a resenha de livro "Onze Minutos" (2003), publicada no mesmo ano pelo professor de literatura da USP João Alexandre Barbosa (1937-2006), na revista "Cult".
Se a iniciativa rompe o silêncio e leva Coelho "a sério" (para o que muito contribui o texto introdutório equilibrado de seu então editor, Manoel da Costa Pinto), ao mesmo tempo, graças ao teor da crítica, estabiliza o paradigma capaz de sustentar o "interesse pelo desinteresse" em relação a Coelho como traço identitário dos que "levam a sério" a literatura.
O procedimento do crítico expressa uma concepção algo essencialista de literatura, dominante no meio acadêmico, como base das razões que o levam a rejeitar a obra de Coelho. Barbosa menciona o uso criativo e consciente que Baudelaire e Flaubert fazem do lugar-comum, origem de um instrumento de renovação recorrente na literatura moderna que reconfigura o próprio lugar-comum.
O crítico escreve: "Não é o caso, por exemplo, do último livro de Paulo Coelho, que fui capaz de ler por inteiro, não obstante repetidos impulsos de desistência, e que se intitula 'Onze Minutos'. Aqui não se trata de utilização, mas de rendição total ao lugar-comum, em que a tópica é de tal forma devastadora que os exercícios de retórica apenas servem de confirmação para sua acentuação".
O esforço analítico não escapa de uma definição "ad hoc" de literatura, feita sob medida para excluir seu objeto, que se desmancha em chavões e em estereótipos. Note-se que se os grandes autores também se servem do lugar-comum, o fazem de modo "especificamente literário". O argumento aproxima-se da circularidade: é literário o manejo literário do lugar-comum. Há um trecho do texto em que o crítico remete ao ponto:
"Por todo o livro, passa, entretanto, uma mestria singular: uma espécie de radicalização do lugar-comum que, consciente ou não, confere ao livro um valor coerente, embora negativo, não havendo em nenhum momento traço de originalidade."
O aspecto contingente do critério sugere que outro, menos previamente armado, poderia resolver o paradoxo de modo positivo, atribuindo coerência (ou, ao menos, habilidade) à radicalização do lugar-comum, para concluir que forma e matéria estão em perfeito alinhamento: rebaixar o intranscendente ao nível do cotidiano só se realizaria literariamente numa relação de transparência plena entre linguagem e mundo narrado.
Mas o procedimento adotado por Barbosa torna absoluto um critério do literário, inteiramente alheio ao projeto do escritor, para indigitar sua escrita como não literária:
"Embora sábio e astuto no uso daquilo que, lugar-comum, já é esperado pelo leitor, Paulo Coelho nada reconfigura em termos narrativos que pudesse justificar a publicação de um romance."
Ou seja, só merece publicação aquilo que, comparável a Baudelaire e Flaubert, reconfigura seu material. Ainda uma vez, pode-se aceitar a validade do critério, mas então é preciso notar a seletividade de sua aplicação, raramente mobilizada no juízo sobre a literatura brasileira contemporânea.
Vale notar que o artigo de Barbosa intitula-se "Dentro da Academia, Fora da Literatura", bastante eloquente quanto à necessidade de resolver o incômodo por meio de sua anulação. O que leva a ao menos evocar contrapontos possíveis. Talvez importe menos estar dentro da Academia Brasileira de Letras e fora da literatura (Paulo Coelho não seria o único exemplo) do que no topo do mercado, mas ostentando um projeto que se quer literário, base da reivindicação do título nobiliárquico de escritor, tão marcante nas manifestações de Coelho.
COMUNIDADE
A questão que emerge desse conjunto de circunstâncias é a impossibilidade de a crítica bancar o pressuposto de uma comunidade hipotética de leitores que partilham seus valores, dada a dimensão do público de Coelho. A relação entre escritor, leitor e mundo narrado escapa ao critério literário, segundo o qual ela já estaria no texto, como sua substância, prêmio a ser conquistado pelo leitor treinado.
Coelho produz um curto-circuito nesse mecanismo: sua narrativa direta quer esclarecer os enigmas; a adesão que obtém quebra a comunidade imaginada --e imaginária-- dos cultores do que haveria de mais elevado na produção artística; sua atitude de "popstar" desafia o recato que se espera do homem de letras, enquanto sua autoidentificação como escritor brasileiro insulta o cânone e a exigência de conformidade ao padrão entronizado no mundo literário.
Diante disso, a desclassificação reforça, ao naturalizar, a doxa (opinião) do campo literário como critério absoluto. Mas outra lógica de classificação poderia abrigar os escritos de Coelho no domínio do literário; quero mencionar o exemplo de outro crítico e professor, José Paulo Paes (1926-98). Sua abordagem sobre literatura de entretenimento (em "A Aventura Literária", 2003) parece aplicar-se ao tipo de produção de Paulo Coelho, embora não se refira expressamente a ela.
Entre as características do gênero romance de aventura, Paes destaca a combinação entre os registros do mito e do naturalismo, o primado do acontecimento na trama e a ausência de profundidade psicológica das personagens (como se a ação forjasse seu caráter), aspectos que, em si, não implicariam rebaixamento do valor da obra pensada segundo seu próprio projeto.
Assim, por exemplo, Paes comenta os romances sentimentais de José Mauro de Vasconcelos:
"A agressividade com que certos críticos se voltaram contra ele, julgando-lhe o desempenho unicamente em termos de estética literária, mostra a miopia de nossa crítica para questões que fujam ao quadro da literatura erudita. [...] Numa cultura de literatos como a nossa, todos sonham ser Gustave Flaubert ou James Joyce, ninguém se contentaria em ser Alexandre Dumas ou Agatha Christie. Trata-se obviamente de um erro de perspectiva: da massa de leitores destes últimos autores é que surge a elite dos leitores daqueles, e nenhuma cultura realmente integrada pode se dispensar de ter, ao lado de uma vigorosa literatura de proposta, uma não menos vigorosa literatura de entretenimento."
Paes revela aqui o magnetismo da definição literária do literário, típica do sistema brasileiro, que nega assento ao artesão competente no âmbito do entretenimento.
Essa posição ecoa a de um autor como Siegfried Krakauer, para quem o "ornamento", metáfora para as fontes de distração, não é mero artifício, mas parte orgânica de uma estrutura, ligando num mesmo sistema simbólico pontas da realidade materializadas nos ambientes nobres e vulgares, nos modos crítico e lúdico de fruição. O sucesso dos best-sellers se deve à sua capacidade de responder a tendências difusas no meio social, que não se explicam por sugestão, mas ancoram-se nas condições sociais reais dos leitores.
Associemos, então, tudo o que foi dito à homenagem prestada por Coelho a José Mauro de Vasconcelos e Malba Tahan em seu discurso de posse na Academia Brasileira de Letras. Em seu momento de maior consagração, Coelho demonstra afinidades com escritores que, como ele diz, não conheceram a glória --não necessariamente a glória de pertencer à ABL, mas a de ser aceito no clube seleto da Literatura Brasileira.
A posse na Academia, ponto de acúmulo máximo de capital simbólico, parece ter sido usada para garantir o mínimo até então negado, o que tanto revela uma apreciação mais realista de sua posição no campo literário como reconhece o peso exercido por seu polo erudito sobre aquele que testou seus limites tentando acumular todos os tipos de proveito.
Creio que a rejeição de que a obra foi objeto tem menos a ver com sua qualidade estética do que com a configuração de um sistema literário que precisa estreitar seus mecanismos de acesso para consolidar-se, recusando tudo o que ameace a definição local de literatura.
Se assim for, explica-se a recepção mais favorável de Coelho nos países em que o campo literário é mais maduro: seus livros são tratados com os mesmos critérios aplicados aos que ocupam posição semelhante à sua, numa estrutura mais densa, multipolar, capaz de incorporar os subsetores de produção ampla criticando-os a partir de sua intencionalidade própria.
Num mundo literário mais sedimentado, poder-se-ia lamentar a difusão internacional incipiente de certo tipo de literatura brasileira sem desconsiderar a efervescência internacional provocada por outro tipo de produção pátria.
Ganharia novo sentido o "não li e não gostei" com que o crítico Davi Arrigucci Jr. respondeu à revista "Veja" sobre Coelho --não uma desqualificação direta do autor, mas desinteresse pelo gênero. Mas talvez seja essa a condição para pensar o best-seller sem fazer pesar sobre o objeto as marcas da relação do leitor que se quer erudito com esse objeto.
Fernando Antonio Pinheiro – Fonte: Folha de S.Paulo – 20/01/13.
O site:
http://www.paulocoelho.com/
http://www.paulocoelho.com/br/
Facebook:
http://www.facebook.com/paulocoelho


MENSAGENS DE NOSSOS LEITORES E COLABORADORES


POR QUE O DIA TEM 24 HORAS?
A divisão foi criada no Egito antigo e dura até hoje.
A invenção das horas como medida de duração do dia é obra dos antigos egípcios – que transmitiram o sistema aos gregos e romanos. Eles dividiram o dia em 10 horas entre o nascer e o pôr do sol, com duas horas extras para a aurora e o crepúsculo. Para medir o tempo, contavam com uma invenção própria, o relógio de sol, criado por volta de 1500 a.C.
Os egípcios também dividiram a noite em 12 partes, a partir da observação das estrelas. Com a invenção do relógio de água, a clepsidra, por volta de 1400 a.C., passaram a medir facilmente as horas durante a noite. Como dia e noite não têm a mesma duração ao longo do ano (o dia é mais curto no inverso e mais longo no verão) as horas dos antigos tinham durações diferentes dependendo da estação. Eles até mesmo ajustavam seus relógios de água para informarem horas diferentes ao longo do ano. O astrônomo Hiparco (190-120 a.C.) foi o primeiro a propor a divisão do dia em 24 horas idênticas, independentemente da estação do ano. Esse sistema só se tornou comum com a invenção dos relógios mecânicos, no século 14.
Em 1793, durante a Revolução Francesa, foi criado o “tempo decimal”: o dia (incluindo a noite) era dividido em 10 horas, compostas de 100 minutos, cada um em 100 segundos. A hora decimal não colou e, já em 1795, seu uso se tornou facultativo.    
Dúvida Cruel - Fonte: Aventuras na História – Edição 114.


Não deixem de enviar suas mensagens através do “Fale Conosco” do site.
http://www.faculdademental.com.br/fale.php

 

editorial
cantinho do humor
coluna do canalha
eu digital
falou no FM? tá falado!
fazendo direito
formandos & formados
futebol show
manchetes da semana
marilene carolina
nossos colunistas
pense!
rapidinhas
turmas do FM
a jente herramos
fotos de eventos
trabalhos publicados
  buscar:     
fale conosco
Troque uma idéia com o Cara, Carinha e Canalha, 24 horas por dia.
histórico
“O jornal paralelo oficial dos alunos da FNH”?
créditos
Por trás de um grande site tem sempre uma grande empresa, clique e veja.
tá falado

13/10/2017
FALANDO EM ESPANTO... >>


09/04/2017
FALANDO EM EMOJIS >>


18/02/2017
FALANDO EM EVOLUÇÃO... >>


30/12/2016
FALANDO EM APTIDÕES... >>


09/10/2016
FALANDO EM FAMÍLIA... >>


03/09/2016
FALANDO EM COMUNICAÇÃO... >>


02/07/2016
FALANDO DA LÍNGUA MATERNA... >>


30/04/2016
FALANDO DAS SEMELHANÇAS... >>


21/02/2016
FALANDO EM SOLIDARIEDADE... >>


21/01/2016
FALANDO SOZINHO... >>


23/12/2015
FALANDO EM SUJEIRA... >>


02/12/2015
FALANDO EM PROJETOS >>


24/10/2015
FALANDO EM TRADUÇÃO!!! >>


19/09/2015
FALANDO NO IG NOBEL!!! >>


05/07/2015
FALANDO DE ENGENHARIA... >>


30/05/2015
FALANDO EM CRISE... >>


21/04/2015
FALANDO DA NATUREZA >>


22/03/2015
FALANDO DE EMOÇÕES... >>


22/02/2015
FALANDO DE GASES >>


18/01/2015
FALANDO EM IDIOMAS >>


11/12/2014
FALANDO EM ANO NOVO... >>


15/11/2014
FALANDO VERDADES... >>


14/10/2014
FALANDO DE ÁGUA >>


17/09/2014
FALANDO OUTRO IDIOMA... >>


31/08/2014
FALANDO DA LUA >>


17/08/2014
FALANDO EM IMAGENS... >>


27/07/2014
FALANDO DE EMOÇÕES >>


13/07/2014
FALANDO EM GERAÇÕES >>


09/06/2014
FALANDO EM AMOR PRÓPRIO >>


29/05/2014
FALANDO EM ECONOMIA: CONFIANÇA NA TRAVE >>


08/05/2014
FALANDO EM CIRCUITOS... >>


24/04/2014
FALANDO EM “DAR O NÓ”... >>


10/04/2014
FALANDO E ESCUTANDO... >>


21/03/2014
SONY WORLD PHOTOGRAPHY AWARDS 2014 >>


08/03/2014
FALANDO EM FESTA... >>


23/02/2014
FALANDO PARA OS FILHOS... >>


07/02/2014
FALANDO EM FACILIDADES... >>


24/01/2014
FALANDO EM LEITURA >>


16/01/2014
FALANDO EM ILUSTRAÇÃO >>


24/12/2013
FALANDO, APRENDENDO E JOGANDO... >>


15/12/2013
FALANDO EM TORRES HUMANAS >>


07/12/2013
FALANDO EM CONEXÃO >>


24/11/2013
FALANDO DE REUNIÕES PÚBLICAS >>


18/11/2013
FALANDO DAS FAVELAS... >>


03/11/2013
FALANDO NO DESERTO... >>


26/10/2013
FALANDO EM TRADUÇÃO... >>


19/10/2013
FALANDO EM INGLÊS >>


12/10/2013
FALANDO DE PAZ >>


05/10/2013
FALANDO EM TURISMO >>


25/09/2013
FALANDO EM NOVOS TERMOS... >>


13/09/2013
FALANDO DE E-BOOKS >>


08/09/2013
FALANDO DE SEXO >>


31/08/2013
FALANDO DE INOVAÇÃO PARA SAÚDE II >>


24/08/2013
FALANDO DE INOVAÇÃO PARA SAÚDE >>


17/08/2013
FALANDO EM MUSEUS >>


10/08/2013
FALANDO EM MÚSICA DE QUALIDADE >>


03/08/2013
FALANDO EM PONTOS DE VISTA >>


20/07/2013
FALANDO DE INOVAÇÃO >>


13/07/2013
FALANDO EM TWITTER >>


06/07/2013
FALANDO DOS BATUQUEIROS DO SILÊNCIO >>


27/06/2013
FALANDO EM UNIVERSIDADES >>


20/06/2013
FALANDO EM MUSEU E TEST DRIVE >>


13/06/2013
FALANDO EM MUSEU >>


06/06/2013
FALANDO DE PERSONALIDADE >>


30/05/2013
FALANDO DE BARULHO... >>


25/05/2013
FALANDO PARA O MUNDO >>


05/05/2013
FALANDO EM MODA >>


29/04/2013
FALANDO EM REGRAS >>


21/04/2013
FALANDO EM IDIOMAS >>


12/04/2013
FALANDO EM COMUNICAÇÃO >>


06/04/2013
FALANDO NO TÁXI >>


29/03/2013
FALANDO EM DESIGN >>


22/03/2013
FALANDO DE LIVROS >>


14/03/2013
FALANDO EM COMIDA >>


07/03/2013
FALANDO DA IMAGEM >>


28/02/2013
FALANDO NA MAIS SIMPLES DAS LÍNGUAS >>


22/02/2013
FALANDO EM PESQUISA >>


14/02/2013
FALANDO NO OSCAR >>


07/02/2013
FALANDO EM ALUGUÉL >>


31/01/2013
FALANDO DE LITERATURA >>


24/01/2013
FALANDO NO IMPEDIMENTO DO USO DA PALAVRA >>


19/01/2013
FALANDO EM UFOS >>


13/01/2013
FALANDO INGLÊS >>


04/01/2013
FALANDO NO CALENDÁRIO ESCOLAR >>


27/12/2012
FALANDO EM UNIVERSIDADES PELO MUNDO >>


20/12/2012
FALANDO EM CALENDÁRIOS... >>


13/12/2012
FALANDO EM FÍSICA >>


06/12/2012
FALANDO EM CORRUPÇÃO >>


30/11/2012
FALANDO EM PIPOCA >>


23/11/2012
FALANDO DE FLORIANÓPOLIS >>


15/11/2012
FALANDO SOBRE UM PAÍS TROPICAL >>


08/11/2012
FALANDO NA HORA CERTA... >>


02/11/2012
FALANDO DESCOBERTAS CANINAS >>


25/10/2012
FALANDO DA VIDA SELVAGEM >>


18/10/2012
FALANDO EM SONS >>


11/10/2012
FALANDO NA SORTE >>


03/10/2012
FALANDO EM MONITORAMENTO AMBIENTAL >>


26/09/2012
FALANDO EM POTÊNCIA FOTOGRÁFICA >>


20/09/2012
FALANDO EM DISCURSOS >>


12/09/2012
FALANDO NA COMUNICAÇÃO >>


05/09/2012
FALANDO NA VIDA >>


30/08/2012
FALANDO DAS LÍNGUAS EUROPEIAS >>


24/08/2012
FALANDO NA RAIVA >>


15/08/2012
FALANDO NA PAZ >>


09/08/2012
FALANDO NO AMANHÃ >>


05/08/2012
FALANDO PELOS COTOVELOS... >>


30/07/2012
FALANDO NO HAITI >>


21/07/2012
FALANDO EM TEIMOSIA >>


12/07/2012
FALANDO DA VIDA >>


05/07/2012
FALANDO AO TELEFONE... >>


28/06/2012
FALANDO EM FOFOCA >>


21/06/2012
FALANDO EM SUSTENTABILIDADE >>


16/06/2012
FALANDO DA HISTÓRIA >>


09/06/2012
FALANDO NA LÍNGUA "INIMIGA" >>


02/06/2012
FALANDO EM UNIVERSIDADES >>


25/05/2012
FALANDO EM SOBREVIVÊNCIA >>


12/05/2012
FALANDO EM RECICLAGEM >>


03/05/2012
FALANDO NO TRABALHO >>


28/04/2012
FALANDO DO VERDE >>


21/04/2012
FALANDO EM PROVAS >>


14/04/2012
FALANDO EM LINGUAGEM... >>


05/04/2012
FALANDO NA CRIMINALIDADE >>


31/03/2012
FALANDO NO INHOTIM >>


24/03/2012
FALANDO EM VÍDEOS >>


15/03/2012
FALANDO NA INTERNET >>


07/03/2012
FALANDO EM RESENHAS >>


29/02/2012
FALANDO EM "AMIZADES IMPROVÁVEIS" >>


22/02/2012
FALANDO DE COMUNICAÇÃO >>


18/02/2012
FALANDO EM HERÓIS >>


09/02/2012
FALANDO DE EDUCAÇÃO >>


02/02/2012
FALANDO EM FOFOCA >>


28/01/2012
FALANDO EM PRESERVAÇÃO >>


19/01/2012
FALANDO DAS UNIVERSIDADES >>


13/01/2012
FALANDO EM RESGATE >>


06/01/2012
FALANDO NO ANO NOVO >>


31/12/2011
FALANDO EM INOVAÇÃO CIENTÍFICA >>


22/12/2011
FALANDO NO NATAL... >>


18/12/2011
FALANDO EM BANIMENTO >>


11/12/2011
FALANDO BOBAGENS... >>


03/12/2011
FALANDO NAS BALEIAS >>


26/11/2011
FALANDO DO ESPAÇO >>


19/11/2011
FALANDO E CANTANDO EM RUSSO >>


13/11/2011
FALANDO EM PROTESTO >>


02/11/2011
FALANDO EM DESIGN >>


29/10/2011
FALANDO EM INGLÊS >>


22/10/2011
FALANDO EM LÍNGUAS >>


12/10/2011
FALANDO EM VIOLÊNCIA... >>


05/10/2011
FALANDO NA EXPANSÃO DO UNIVERSO >>


28/09/2011
FALANDO EM VOLTA AO MUNDO... >>


21/09/2011
FALANDO EM COMIDA >>


14/09/2011
FALANDO EM FOTOGRAFIA NA ASTRONOMIA >>


07/09/2011
FALANDO EM NOTÍCIA >>


01/09/2011
FALANDO EM LETRAS DA GUERRA >>


26/08/2011
FALANDO EM LIBERDADE >>


18/08/2011
FALANDO EM IOIÔ >>


11/08/2011
FALANDO EM DICIONÁRIO BABILÔNICO >>


04/08/2011
FALANDO NO PASSADO DIGITAL >>


28/07/2011
FALANDO EM ENERGIA ALTERNATIVA >>


21/07/2011
FALANDO ABERTAMENTE >>


17/07/2011
FALANDO KIRCHNERISMO >>


10/07/2011
FALANDO EM BATALHA DE IDEIAS >>


01/07/2011
FALANDO PELOS COTOVELOS >>


23/06/2011
FALANDO EM CORRUPÇÃO >>


16/06/2011
FALANDO EM VÁRIAS LÍNGUAS >>


08/06/2011
FALANDO EM CINEMA >>


02/06/2011
FALANDO EM ENCICLOPÉDIA >>


26/05/2011
FALANDO NO MAIOR CORAL DO MUNDO >>


19/05/2011
FALANDO EM E-BOOKS E LIVROS >>


12/05/2011
FALANDO POR SINAIS >>


05/05/2011
FALANDO EM PARTITURAS >>


26/04/2011
FALANDO NA PAZ MUNDIAL >>


22/04/2011
FALANDO EM ESPONTANEIDADE >>


14/04/2011
FALANDO EM BANDEIRAS >>


08/04/2011
FALANDO EM BEBÊS >>


31/03/2011
FALANDO EM LIBERDADE >>


26/03/2011
FALANDO EM CÂNCER >>


17/03/2011
FALANDO EM ACONTECIMENTOS >>


10/03/2011
FALANDO EM GLOBALIZAÇÃO >>


03/03/2011
FALANDO EM IDIOMAS >>


27/02/2011
FALANDO A VERDADE >>


17/02/2011
FALANDO EM CINEMA >>


10/02/2011
FALANDO EM MUSEUS >>


03/02/2011
FALANDO EM INTERATIVIDADE >>


27/01/2011
FALANDO NA REALEZA >>


20/01/2011
FALANDO EM IMITAÇÃO >>


13/01/2011
FALANDO EM MEMÓRIA COLETIVA >>


07/01/2011
FALANDO EM VERSÃO BRASILEIRA >>


30/12/2010
FALANDO EM BELEZA UNIVERSITÁRIA >>


21/12/2010
FALANDO EM NOTÍCIAS >>


16/12/2010
FALANDO EM KORO >>


09/12/2010
FALANDO EM LUZES DE NATAL >>


02/12/2010
FALANDO EM RETRATOS VALIOSOS >>


25/11/2010
FALANDO DA WEB >>


20/11/2010
FALANDO EM VISUAL >>


14/11/2010
FALANDO NA ALTITUDE >>


04/11/2010
FALANDO EM TWITTER >>


29/10/2010
FALANDO EM UNIVERSO >>


21/10/2010
FALANDO EM GENEROSIDADE >>


14/10/2010
FALANDO EM SKATE >>


07/10/2010
FALANDO EM AUTOMÓVEIS >>


02/10/2010
FALANDO EM COMUNICAÇÃO >>


24/09/2010
FALANDO EM DEDO-DURO >>


17/09/2010
FALANDO EM AMIZADE >>


09/09/2010
FALANDO EM FOTOS... >>


01/09/2010
FALANDO EM MARKETING >>


26/08/2010
FALANDO DE HISTÓRIA >>


19/08/2010
FALANDO NA ESCRITA >>


12/08/2010
FALANDO EM ESPAÇO - FLATSHARE >>


05/08/2010
FALANDO EM RELAX... >>


03/08/2010
FALANDO EM LIVROS >>


22/07/2010
FALANDO EM EMOTICONS >>


15/07/2010
FALANDO EM PREVISÕES >>


08/07/2010
FALANDO EM IDENTIFICAÇÃO >>


01/07/2010
FALANDO DO MUNDO >>


24/06/2010
FALANDO NO PASSADO COM PRESENTE >>


17/06/2010
FALANDO EM JAPONÊS >>


10/06/2010
FALANDO EM HISTÓRIAS VIRTUAIS >>


03/06/2010
FALANDO EM MENSAGENS SECRETAS >>


27/05/2010
FALANDO EM BANHEIRO >>


23/05/2010
FALANDO EM "AGRICULTURA" >>


13/05/2010
FALANDO EM SUPER-HOMEM >>


07/05/2010
FALANDO EM COMUNICAÇÃO À ANTIGA >>


29/04/2010
FALANDO EM SALTO ALTO >>


24/04/2010
FALANDO DOS CORREIOS >>


15/04/2010
FALANDO EM DESCOBRIMENTO >>


08/04/2010
FALANDO EM LAPTOP >>


01/04/2010
FALANDO DA ÚLTIMA CEIA >>


25/03/2010
FALANDO EM BANCO IMOBILIÁRIO RELOADED >>


19/03/2010
FALANDO EM RARIDADE >>


11/03/2010
FALANDO EM VOZES... >>


04/03/2010
FALANDO EM PHOTOSHOP >>


25/02/2010
FALANDO EM INOVAÇÃO >>


18/02/2010
FALANDO DE MODA >>


13/02/2010
FALANDO EM LIBERDADE >>


04/02/2010
FALANDO EM ALTA RESOLUÇÃO >>


29/01/2010
FALANDO EM PAGODE JAPONÊS >>


23/01/2010
FALANDO EM TATUAGEM >>


15/01/2010
FALANDO EM WIKIPEDIAMANIA >>


24/12/2009
FALANDO NO ANO NOVO >>


17/12/2009
FALANDO ATRAVÉS DE ASSINATURAS >>


10/12/2009
FALANDO EM ÁRVORE DE NATAL SUSTENTÁVEL >>


03/12/2009
FALANDO EM AMIZADE >>


25/11/2009
FALANDO EM DESIGN FUTURISTA >>


20/11/2009
FALANDO EM RESPEITO NAS UNIVERSIDADES >>


13/11/2009
FALANDO EM GRITOS >>


05/11/2009
FALANDO EM SINCRONISMO >>


29/10/2009
FALANDO EM CARTAS FAMOSAS >>


22/10/2009
FALANDO EM BRASIL ILUSTRADO >>


16/10/2009
FALANDO EM CARREGAMENTO DE ESPOSAS >>


08/10/2009
FALANDO EM PRISÃO E MANDANDO O RECADO >>


01/10/2009
FALANDO EM INFORMAÇÃO VIRTUAL >>


25/09/2009
FALANDO EM BRUXO FAMOSO >>


17/09/2009
FALANDO EM PESQUISAS CANINAS >>


10/09/2009
FALANDO EM AGRICULTURA >>


03/09/2009
FALANDO COM OS ANIMAIS >>


26/08/2009
FALANDO EM DESIGN DE COMIDA >>


20/08/2009
FALA PRESIDENCIAL >>


13/08/2009
FALANDO EM REALITY SHOW LITERÁRIO >>


06/08/2009
FALANDO EM LETRAS ECOLÓGICAS >>


29/07/2009
FALANDO EM HITS >>


24/07/2009
FALANDO EM PEIXES... >>


14/07/2009
FALANDO EM AERODINÂMICA >>


09/07/2009
FALANDO EM PROVOCAÇÃO >>


03/07/2009
FALANDO EM MICHAEL JACKSON >>


25/06/2009
FALANDO EM GIOCONDA >>


19/06/2009
FALANDO EM PROJETO SECRETO >>


11/06/2009
FALANDO EM REFLEXO >>


04/06/2009
FALANDO EM URSO POLAR >>


28/05/2009
FALANDO EM "GEEK" >>


18/05/2009
FALANDO EM CALENDÁRIO DE 2010 >>


13/05/2009
FALANDO EM ARTE RUPESTRE >>


07/05/2009
FALANDO EM JORNALISMO >>


01/05/2009
DISCUTINDO A DIVINA COMÉDIA COM DANTE >>


22/04/2009
FALANDO EM EXPERIMENTO >>


15/04/2009
FALANDO PRA TODO MUNDO OUVIR >>


10/04/2009
FALANDO EM ARQUITETURA MUSICAL >>


01/04/2009
SEMPRE FALANDO DO PLANETA >>


25/03/2009
FALANDO NO PLANETA >>


19/03/2009
FALANDO COM O MUNDO >>


12/03/2009
FALANDO EM FACULDADE >>


05/03/2009
FALANDO SEM PALAVRÕES >>


25/02/2009
FALANDO NO CELULAR >>


19/02/2009
FALANDO EM FAVELA >>


12/02/2009
FALANDO EM TRADIÇÃO >>


06/02/2009
FALANDO EM METEOROLOGIA >>


29/01/2009
FALANDO EM VINHO >>


22/01/2009
FALANDO EM PIZZA >>


15/01/2009
FALANDO NAS ALTURAS >>


04/01/2009
FALANDO NO DESCONHECIDO >>


02/01/2009
FALANDO EM EVOLUÇÃO >>


25/12/2008
FALANDO NO GELO! >>


18/12/2008
FALANDO EM PAZ >>


11/12/2008
FALANDO, MIANDO E CANTANDO NO NATAL >>


04/12/2008
FALANDO EM SOLIDARIEDADE >>


29/11/2008
FALANDO EM UFOLOGIA >>


20/11/2008
FALANDO PELOS ARES >>


13/11/2008
FALANDO EM EXOTISMO >>


06/11/2008
FALANDO EM FERROVIA >>


30/10/2008
O IMPORTANTE É FALAR >>


22/10/2008
LEITURA DIGITALIZADA >>


16/10/2008
FALANDO EM IDÉIAS III >>


10/10/2008
FALANDO EM IDÉIAS II >>


01/10/2008
FALANDO EM IDÉIAS I >>


26/09/2008
FALANDO EM ILUSTRAÇÃO >>


16/09/2008
FALANDO NO TRÂNSITO >>


09/09/2008
FALANDO EM CAMPAINHA! >>


04/09/2008
FALANDO EM CIVILIZAÇÃO URBANA >>


28/08/2008
FALANDO DE CABEÇA PRA BAIXO >>


21/08/2008
LUXO ESPACIAL >>


15/08/2008
“EU VOS DECLARO...” >>


07/08/2008
A ROSA DE HIROSHIMA >>


31/07/2008
FALANDO E ESCUTANDO >>


27/07/2008
FALA MARCIANA >>


14/07/2008
FALANDO EM LIBERDADE >>


06/07/2008
FALANDO DE ARTISTAS >>


03/07/2008
"FAÇA ARTE, NÃO FAÇA GUERRA" >>


26/06/2008
FALANDO E GIRANDO >>


19/06/2008
FALANDO E OBSERVANDO >>


12/06/2008
FALANDO EM JAPONÊS >>


05/06/2008
FALANDO NA AREIA >>


29/05/2008
FALANDO DE BALEIAS >>


23/05/2008
FALANDO DE GENTE >>


15/05/2008
FALANDO E SONHANDO >>


10/05/2008
FALANDO DE ESTILO >>


02/05/2008
FALANDO NO GELO >>


21/04/2008
FALANDO NO ESCURO >>


16/04/2008
FALANDO NAS ALTURAS >>


10/04/2008
A VERDADEIRA SOLIDÃO! >>


03/04/2008
FALANDO, MAS NÃO IDENTIFICANDO... >>


29/03/2008
FALANDO DO QUE INTERESSA... >>


21/03/2008
FALAR EM GUERRA NÃO TÁ COM NADA... >>


14/03/2008
FALANDO PARA O MUNDO! >>


08/03/2008
FALANDO E ORGANIZANDO A LUTA PELOS DIREITOS DAS MULHERES >>


01/03/2008
ALÉM DE FALAR, AS MULHERES PROTESTAM MUITO >>


22/02/2008
FALANDO SENTADO... >>


15/02/2008
FALANDO DE AMOR >>


07/02/2008
FALANDO DAS LOIRAS >>


30/01/2008
O BRASIL FALANDO NA EUROPA >>


24/01/2008
NÃO IMPORTA O IDIOMA, O IMPORTANTE É FALAR! >>


19/01/2008
FALANDO PORTUNÊS OU JAPOGUÊS? >>


12/01/2008
FALANDO, ATÉ MESMO NO GELO... >>


30/12/2007
VAMOS FALAR MUITO EM 2008! >>


23/12/2007
VAMOS COMEÇAR O ANO FALANDO DE FORMA OBJETIVA? >>


16/12/2007
NÃO BASTA FALAR EM SOLIDARIEDADE, É PRECISO ACENDER A CHAMA... >>


10/12/2007
PODE FALAR, MAS UM DE CADA VEZ... >>


03/12/2007
POR MAIS DIFÍCIL QUE SEJA, É PRECISO FALAR... >>


26/11/2007
O ESPÍRITO NATALINO FALA POR SI SÓ!!! >>


19/11/2007
NO FM, TODO MUNDO FALA... É LIBERDADE DE EXPRESSÃO! >>


13/11/2007
FALA SÉRIO, AÊÊÊ!!! >>


06/11/2007
O TAMANHO DO JORNAL NÃO IMPORTA, MAS, SIM, O VALOR DA INFORMAÇÃO... >>


02/11/2007
OBRA-PRIMA QUE FALA... >>


29/10/2007
LOGÌSTICA QUE FALA POR SI SÓ... >>


17/10/2007
O MELHOR REMÉDIO É FALAR V >>


14/10/2007
O MELHOR REMÉDIO É FALAR IV >>


30/09/2007
O MELHOR REMÉDIO É FALAR III >>


24/09/2007
O MELHOR REMÉDIO É FALAR II >>


16/09/2007
O MELHOR REMÉDIO É FALAR... >>


10/09/2007
E POR FALAR EM BRASÍLIA... >>


02/09/2007
BOCA NO TROMBONE! >>


27/08/2007
ECLIPSE TOTAL DA LUA! É PRA FICAR DE BOCA ABERTA... >>


21/08/2007
SE NÃO FALAR, O TREM DA ALEGRIA PASSA... >>


14/08/2007
A HORA CERTA DE FALAR... APRIMORANDO APRESENTAÇÕES EM SLIDES >>


08/08/2007
NO FM, NÃO PRECISA DE ON / OFF PARA FALAR! >>


03/08/2007
DIREITO DE RESPOSTA >>


24/07/2007
PROTESTOU? TÁ PROTESTADO! >>


14/07/2007
VOX POPULI, VOX DEI! A VOZ DO POVO É A VOZ DE DEUS!!! >>


03/07/2007
FALOU NO FM? TÁ FALADO! VOTOU? TÁ VOTADO! O CRISTO É UMA MARAVILHA! >>


29/06/2007
VENEZUELANO TAMBÉM FALA NO FM! >>


18/06/2007
COM A PALAVRA A GALERA DA FNH >>


11/06/2007
VOU ME ENTORPECER BEBENDO VINHO... >>


07/06/2007
FALANDO SOBRE MEIO AMBIENTE! >>


28/05/2007
FALAR OU PENSAR, EIS A QUESTÃO! >>


21/05/2007
SERÁ QUE DÁ PARA FALAR??? >>


14/05/2007
UNIVERSITÁRIO FALA MESMO E GOSTA DE MUITA FESTA! >>


07/05/2007
FALANDO ATÉ EMBAIXO D'ÁGUA... >>


01/05/2007
MINEIRIM FALA MES... >>


23/04/2007
TÁ RUSSO? ENTÃO, FALE! >>


16/04/2007
A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO CORRETA... >>


07/04/2007
COM ESSE CALOR! SÓ NADANDO E FALANDO... >>


28/03/2007
SE CORRER O BICHO PEGA...SE FICAR O BICHO COME... >>


19/03/2007
SE NÃO FALAR, NÃO VALE, NÃO GANHA... >>


13/03/2007
FALAR E REALMENTE DAR O RECADO, É COISA SÉRIA! >>


08/03/2007
ATIRANDO E FALANDO PARA TODO LADO! >>


27/02/2007
A LIBERTAÇÃO DA EXPRESSÃO! >>


19/02/2007
FALANDO E PULANDO O CARNAVAL! >>


04/02/2007
FELIZ ANO NOVO! VAMOS ANDANDO, SEMPRE EM FRENTE! >>


14/12/2006
FM, SEMPRE PRESENTE! >>


04/12/2006
FALAR E OUVIR, UMA COMBINAÇÃO PERFEITA! >>


21/11/2006
100SACIONAL - ALGUMAS DAS MELHORES DO FALOU NO FM? TÁ FALADO! >>


14/11/2006
EITA!!! QUE FALAÇÃO DANADA... >>


09/11/2006
MANIFESTE SEU DESEJO! >>


31/10/2006
COMUNICAÇÃO GLOBALIZADA! >>


23/10/2006
NÃO HÁ DISTÂNCIA PARA SE COMUNICAR COM O FM! >>


16/10/2006
FALA MUIIIITTTOOO! PARECE ATÉ PAPAGAIO! >>


09/10/2006
FALE SEMPRE! IDENTIFIQUE-SE, TAMBÉM! >>


01/10/2006
A FORÇA DA COMUNICAÇÃO! >>


25/09/2006
ESPAÇO DEMOCRÁTICO >>


19/09/2006
TÊM MENSAGENS PARA TODO O TIPO DE GOSTO! >>


17/09/2006
QUE FALAÇÃO DANADA! >>


05/09/2006
QUEM NÃO SE COMUNICA...SE ESTRUMBICA >>


30/08/2006
VAMOS FALAR, MAS SEMPRE COM TRANSPARÊNCIA! >>


27/08/2006
CRIAR NOVAS COLUNAS? SÓ DEPENDE DE VOCÊS... >>


20/08/2006
FALANDO...... >>


25/06/2006
COMUNICAÇÃO É TUDO! >>


17/06/2006
SANTA PACIÊNCIA! >>


04/06/2006
LIBERDADE DE EXPRESSÃO! >>


27/05/2006
EXPONDO PONTOS DE VISTA! >>


21/05/2006
BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ BLÁ >>


17/05/2006
RESUMÃO! >>


07/05/2006
SOLTA A GARGANTA, MEU POVO! >>


30/04/2006
O NEGÓCIO É MANTER O CANAL ABERTO! >>


27/04/2006
ETA D.A. DE HARRY POTTER! >>


27/04/2006
MAIS FALAÇÃO. Ô GENTE QUE FALA! >>


06/04/2006
Falou no FM? Tá falado? >>


06/04/2006
COMO ESSE POVO FALA!!! >>